MTur

Ministério intermedeia investimento de US$ 1,5 bilhão no Rio Grande do Norte

A região de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, se prepara para receber um investimento da ordem de US$ 1,5 bilhão para a construção de dois hotéis e de uma vila de alto padrão. O recurso é fruto da participação de técnicos do Ministério do Turismo em eventos internacionais nos quais, em parceria com empresários brasileiros, expõe oportunidades de investimento no país em áreas como hotelaria.

O cenário natural deslumbrante do município potiguar atraiu a Six Senses, famosa por propriedades de luxo sustentável na Ásia, e abrigará unidades de uma das maiores redes mundiais de resorts em um investimento inédito na América Latina. O empreendimento, cujas obras devem começar em 2019, será erguido em uma área de cinco hectares, com espaços para spas, pesca, campo de polo e planetário, além de um centro de proteção de tartarugas.

A localidade integra o portfólio de projetos divulgados pelo MTur no exterior. O ministro do Turismo, Marx Beltrão, observa que a chegada do grupo ajuda a despertar o interesse por atividades no Brasil. “Esse investimento demonstra que o país é um bom investimento e que a melhoria da economia também proporciona um melhor ambiente de negócios, então os investidores ficam atentos a isso”, ressalta.

O ministro lembra ainda que o Brasil + Turismo, um plano de reforço do setor lançado em abril deste ano, vai elevar a atratividade do país, por favorecer a chegada de visitantes. Piotr Maj, chefe de projetos da Gremi International, uma das empresas investidoras do complexo potiguar da Six Senses, enaltece a parceria com o MTur para a exposição de oportunidades e aposta no desenvolvimento turístico de Baía Formosa.

“O trabalho do MTur no exterior tende a atrair ainda muito mais investimentos porque aumenta a confiança de investidores. E a chegada da Six Senses pode gerar um movimento parecido com o de Cancún, que há 40 anos era uma vila de pescadores e se transformou com a chegada de grupos hoteleiros. O aval de hotéis a um país é também um aval para a vinda de turistas”, compara Maj.

Segundo um censo divulgado em julho pelo MTur, a oferta de leitos de hotéis nas capitais do Brasil cresceu 71% de 2011 a 2016. Um dos exemplos de expansão é a rede hoteleira norte-americana Red Roof, que oferece acomodações de baixo custo e também chegou ao país a partir de articulações da Pasta. O grupo, que iniciou operações em 2015 no território nacional, já soma três empreendimentos, no Rio de Janeiro (RJ), Natal (RN) e Vitória (ES).