Hotelaria

Gran Marquise celebra 25 anos

Gran Marquise: imponência na Beira Mar – Foto: Divulgação

Era ano de 1992, quando Fortaleza fervilhava em torno do novo empreendimento hoteleiro que se instalava na avenida Beira Mar. De renome internacional, a bandeira Caesar Park chegou e agitou o burburinho dos meios sociais e econômicos do Estado. Prédio imponente, cores intensas, projeto paisagístico de Burle Marx, uma diversidade de obras de arte espalhadas no ambiente, gastronomia diferenciada davam o tom daquele que seria e ainda é o hotel de maior referência do Ceará.

Os anos passaram, bandeiras mudaram, mercados evoluíram, mas uma coisa sempre foi certa. Se você procura luxo, padrão, serviço e tranquilidade ao fechar qualquer tipo de evento dentro de um ambiente hoteleiro, o Gran Marquise sempre foi a marca mais lembrada dos que atuam no trade turístico local.

O que poderia servir de platô para uma possível acomodação, foi combustível estimulante para que os gestores do 5 estrelas investisse, inovasse e não parasse, e um instante sequer, para manter e projetar o Gran Marquise no padrão inalcançável.

Um dos setores símbolos dessa realidade é o de eventos. No ano de 2005, o hotel criou o setor de eventos sociais de olho no promissor mercado casamenteiro. Rapidamente a empresa passou a receber os maiores e melhores casamentos da cidade. Os salões do Gran Marquise já chegaram a realizar 150 casamentos num único ano. O setor já tem casamento fechado para setembro de 2019. Um claro sinal de solidez.

No caso dos eventos corporativos não é diferente. O setor passou por forte profissionalização na última década. Além da criação do setor nacional de vendas, com investimento pesado em material humano, o Hotel passou a criar ambiência material e imaterial para sediar grandes eventos corporativos e hospedar pessoas que venham a Fortaleza participar de eventos dessa natureza.

O quarto andar do prédio foi todo transformado em salões. O antigo restaurante Nostradamus foi repaginado para virar o Portofino, um salão panorâmico para o atlântico. O antigo espaço de joalheria virou um moderno businnes center e nosso setor gastronômico foi ampliado e treinado para entender os diversos eventos corporativos da casa. É comum o Hotel, em períodos de “baixa estação”, computar 100% de ocupação em virtude dos eventos corporativos. Neste ano de 2017, o setor corporativo responde por 65% da receita do Hotel, além da sua farta participação nos pontos de vendas do Hotel.

No reconhecido setor de alimentos e bebidas o Gran Marquise também é inquieto. Primeiro sushi de Fortaleza, com o antigo Mariko, em 2008, o espaço gastronômico ampliou seu cardápio em quatro países, fez intercâmbio com restaurantes de fora, implantou a conceituação asiática e hoje trabalha com pratos da Tailândia, Coreia, China e Japão. Foi premiado por 8 anos consecutivos pela revista Veja com a sua tradicional feijoada, mantém equipes treinadas para alta gastronomia 24h no seu room service, administra o luxuoso café da manhã com mais de 200 itens e espumante diário e conserva e treina equipe própria para gastronomia de eventos sociais e corporativos.

O ambiente online também passou por elevados investimentos financeiros e estratégicos no mercado. O aperfeiçoamento dos mecanismo de reserva online no site produziram uma receita aproximada de R$ 2 milhões neste ano. O Hotel ainda implantou a ferramenta do “Smart Check”, ampliou seu alcance e produção de contéudos em mídias sociais e se consolidou na primeira posição do respeitado Trip Advisor.

Na infraestrutura o investimento foi elevado. Seja em cifras, parcerias ou inovações. Os últimos anos do Hotel foram marcados pela total repaginação dos espaços físicos. Lobby Bar, businnes, recepção, salão Portofino, apartamentos, presidencial. Tudo foi renovado. Tudo novinho. O destaque fica por conta do topo do prédio. Após a remodelação de toda a área de piscina, o Hotel fechou parceria com a multinacional Loccitane para fazer o SPA urbano mais elegante de Fortaleza. Serviço europeu com uma vista panorâmica inesquecível para o atlântico. Outros setores do Hotel ainda passarão por obras e modernização no ano das suas bodas. Toda essa modernização custou mais de R$ 20 milhões de investimento do braço hoteleiro do Grupo Marquise.

O gerente geral do Hotel, Philippe Godefroit, entende que esses 25 anos podem ser traduzidos pela maturidade jovial da empresa. “Conduzo essa empresa em quase um terço destes anos. Minha relação vai para além do trabalho. Eu vivencio o Gran Marquise. É uma relação simultânea de trabalho e afetividade. Esse hotel possui a inquietação da juventude e a maturidade de quem sabe o que quer, como fazer e a vontade de realizar. Essa história apenas começou. Aqui o futuro já começou”, finaliza.